SOS INFORMATICA
Brasil

Queiroga diz desconhecer existência de 'gabinete paralelo'

Ministro da Saúde admitiu encontros pontuais com alguns dos supostos integrantes do que seria o grupo de aconselhamento

08/06/2021 19h42
Por: Redação
Fonte: R7
O ministro da Saúde, Marcelo Queiroga - (Foto: Jefferson Rudy/Agência Senado - 08.06.2021)
O ministro da Saúde, Marcelo Queiroga - (Foto: Jefferson Rudy/Agência Senado - 08.06.2021)

O ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, afirmou à CPI da Covid, do Senado Federal, nesta terça-feira (8), que desconhece a atuação de um suposto gabinete paralelo para aconselhamento e tomada de decisões relativas ao combate à pandemia de covid-19 no país. A atuação do grupo, que teria sido responsável por indicar tratamento precoce com cloroquina, remédio considerado ineficaz contra covid-19 pela maior parte da classe médica e científica.

"Eu desconheço essa atuação em paralelo. Nunca vi esse grupo atuando em paralelo. Não tenho contato com esse grupo", afirmou o ministro à comissão. 

Queiroga disse ter tido contato, no entanto, com alguns dos supostos membros do 'gabinete paralelo'. como a médica Nise Yamaguchi, o empresário Carlos Wizard e o deputado federal Osmar Terra.

O ministro, por outro lado, negou contato com o Arthur Weintraub - irmão do ex-ministro da Educação, Abraham Weintraub -, e com o virologista Paolo Zanotto, que aparece em vídeo de reunião divulgado pelo portal "Metrópoles" afirmando ser necessário "tomar um extremo cuidado" em relação a vacinas no país.

O ministro também admitiu que um representante do ministério se reuniu com parte dos supostos membros do gabinete paralelo. "O fato desses médicos defenderem tratamento A, B, C ou D, não quer dizer que o ministro da Saúde não possa participar", disse. "Não quer dizer que se eu participar do evento, ratifique o que há ali, mas não participei", concluiu. 

Protocolo da cloroquina

O ministro afirmou que recebeu a médica Nise Yamaguchi no Ministério da Saúde e que ela lhe entregou um protocolo de cloroquina usado em Cuba. "A professora Nise Yamaguchi eu recebi no ministério uma vez e ela me entregou um protocolo de cloroquina que era usado em Cuba,  e eu recebi. Me entregou, mostrou aquilo lá, e eu recebi, como recebo outras pessoas", afirmou. Ele não detalhou qual o uso dado ao documento.

Nise Yamaguchi é oncologista do Hospital Israelita Albert Einstein e desde o ano passado participou de reuniões com o governo para discussões relativa à pandemia. Nise já prestou depoimento à CPI e voltou a defender o tratamento precoce e o uso de remédios como a cloroquina contra o novo coronavírus.

Queiroga teve uma discussão com o senador Otto Alencar (PSD-BA) O bate-boca começou após o senador perguntar se Queiroga tinha lido bulas das vacinas que estão sendo usadas no país, e a resposta foi que não. Otto classificou a atitude como "irresponsável".

Nenhumcomentário
500 caracteres restantes.
Seu nome
Cidade e estado
E-mail
Comentar
* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou com palavras ofensivas.
Mostrar mais comentários
Ele1 - Criar site de notícias