SOS INFORMATICA
VACINA

Com plano definido, forças de segurança de MS escoltarão vacinas em distribuição no Estado

À espera da CoronaVac, Estado define estratégia para distribuir vacina em 78 cidades

14/01/2021 09h04
Por: Redação
Fonte: Mídiamax
Foto: Divulgação, Governo do Estado de São Paulo
Foto: Divulgação, Governo do Estado de São Paulo

Faltando menos de uma semana para a eventual abertura da campanha de vacinação nacional contra o novo coronavírus, o governo de Mato Grosso do Sul lançou o Plano Estadual Conjunto de Distribuição de Imunizantes e Insumos contra a Covid-19. A resolução foi publicada na edição desta quinta-feira (14) do DOE (Diário Oficial Eletrônico).

A Sejusp (Secretaria de Estado de Justiça e ) dará apoio à SES (Secretaria de Estado de Saúde) na distribuição das doses assim que chegarem ao Estado. Todo o processo de entrega nos 78 municípios do interior será realizado em um único dia.

Em Campo Grande, a Sesau (Secretaria Municipal de Saúde) tem um plano próprio de distribuição. “Será necessário trabalhar com algumas variantes dependendo da quantidade de doses a serem disponibilizadas pelo Instituto Butantan”, informou a pasta na semana passada.

Mais de 20 viaturas da PMMS ( de Mato Grosso do Sul), PCMS ( de Mato Grosso do Sul) e do CBMMS ( Militar de Mato Grosso do Sul) darão apoio à equipe de transporte da Ceve (Coordenadoria Estadual de Vigilância Epidemiológica). A SES recomendou que nenhum dos quatro órgãos use veículos com capota solar para evitar a perda do imunizante.

A pasta recomendou ainda que as forças de segurança e a Ceve estejam preparadas para substituir quaisquer viaturas que apresentem problemas mecânicos durante as entregas. Assim como as vacinas, seringas e agulhas também serão entregues nos municípios. O Estado lançou licitação para aquisição desses insumos e pediu ao ministério, mas já tem estoque suficiente para iniciar a imunização.

Na primeira fase da vacinação, apenas trabalhadores da saúde, pessoas de 80 anos ou mais, pessoas de 75 a 79 anos e indígenas maiores de 18 anos serão vacinados. O  tem três datas para iniciar a campanha: 20 de janeiro, 10 de fevereiro ou após essa última.

A previsão é que Mato Grosso do Sul receba 1,7 milhão de doses para aplicar as duas doses em 890,6 mil pessoas do grupo de risco. A SES já havia adiantado que a vacinação vai começar 48 horas após receber o imunizante.

O governo espera diminuição de aproximadamente 50% nas internações por Covid-19 quando a CoronaVac estiver sendo aplicada. A simulação, feita pelo Jornal Midiamax, leva em conta o grupo que deverá ser anunciado como prioritário e o grau de eficiência do imunizante para casos graves.

De acordo com dados divulgados pelo Butantan, a vacina é 100% eficaz em casos graves da doença. Desta forma, foram cruzadas as idade de pacientes internados no Estado, a partir dos microdados divulgados diariamente pela SES (Secretaria de Estado de Saúde).

De acordo com a pasta, o Estado registrou 234 internações entre os dias 1º e 12 de janeiro de 2021, em leitos de UTI (Unidade de Terapia Intensiva). Deste total, 115 pacientes têm 60 anos ou mais, o que corresponde a 49% do total de internações.

A simulação leva em conta que estes serão os primeiros a serem vacinados. Ainda que a imunização seja fracionada entre os idosos, seguindo o plano de vacinação de São Paulo, MS ainda vacinaria 40,8% de pessoas deste  nas primeiras rodadas. Pessoas com 75 anos ou mais devem ser as primeiras a receberem a imunização, dentre todos os idosos.

Vale lembrar que, apesar de não fazerem parte da faixa etária com mais casos de coronavírus, idosos são os mais afetados pela doença. Na estatística geral, considerando o total de infectados, o grupo corresponde a 12,9% do total de infectados. A segunda faixa etária mais afetada são pessoas de 50 a 59 anos, que representam 22%. Seguidas de pacientes de 40 a 49 anos, com 13% das internações deste ano.

Entenda a eficácia da CoronaVac

Resultados da eficácia de 50,38% da Coronavac em cenário global, divulgados na última terça-feira (12), assustaram os brasileiros. Entretanto, é preciso ter em mente que o índice significa que mais de 50% das pessoas que forem imunizadas não serão infectadas pelo coronavírus.

Além disto, o Instituto Butantan já havia publicado dados detalhados da eficácia da vacina em casos isolados. A CoronaVac é 100% eficaz em casos graves e moderados. Então, das pessoas que ainda pegarem Covid-19, nenhuma deve ter complicações graves da doença.

Para casos leves, a vacina é 78% eficaz. Ou seja, de um grupo de 100 pessoas que receberem a imunização e foram infectadas pelo vírus, 78 não terão evolução no quadro da doença, ainda que sintam algum sintoma leve.

 

Nenhumcomentário
500 caracteres restantes.
Seu nome
Cidade e estado
E-mail
Comentar
* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou com palavras ofensivas.
Mostrar mais comentários
Ele1 - Criar site de notícias