SOS INFORMATICA
BANCO CENTRAL

Veja como herdeiros podem resgatar dinheiro esquecido de pessoas que já morreram

Segundo a autoridade monetária, cerca de R$ 6 bilhões estarão disponíveis para 38 milhões de pessoas físicas e 2 milhões de pessoas jurídicas

02/03/2023 07h15
Por: Redação
Fonte: Correio do Estado

O Banco Central reabriu, nesta terça (28), a consulta de valores esquecidos em instituições financeiras. Segundo a autoridade monetária, cerca de R$ 6 bilhões estarão disponíveis para 38 milhões de pessoas físicas e 2 milhões de pessoas jurídicas.

O montante inclui valores esquecidos por pessoas que já morreram e que, neste ano, também poderão ser sacados.

Na reabertura do sistema, herdeiros ou representantes legais podem consultar o dinheiro esquecido por pessoas que já morreram, com informações sobre os dados de contato da instituição responsável pelo montante e a faixa de valor.

Se houver saldo a resgatar, o saque será liberado pelo SVR (Sistema de Valores a Receber) no dia 7 de março, às 10h (horário de Brasília), 9 h (horário de Mato Grosso do Sul).

PASSO A PASSO PARA RESGATAR O VALOR POR HERDEIROS

 

1º CONSULTE O SITE DO BANCO CENTRAL

- Acesse o site https://valoresareceber.bcb.gov.br

- Informe o CPF e data de nascimento da pessoa falecida

2º ACESSE O SVR

- Se aparecer a mensagem “O CPF pesquisado tem valores a receber”, a partir do dia 7/3, às 10h, retorne ao site do Banco Central para acessar o Sistema de Valores a Receber (SVR)

3º FAÇA LOGIN NA CONTA GOV.BR

- A partir do dia 7 de março, faça login na sua conta gov.br

- Por causa do sigilo bancário, a sua conta precisa ser de nível prata ou ouro

- Para aumentar o nível da sua conta nível bronze ou prata ou ouro, baixe o aplicativo gov.br e siga as orientações

- Também é possível logar na sua conta gov.br e validar seus dados via internet banking de um banco credenciado para adquirir um dos “Selos de Confiabilidade”

- Quem fizer o reconhecimento facial pelo aplicativo gov.br para conferência da foto nas bases da Justiça Eleitoral (TSE) poderá adquirir o nível ouro

4º REGISTRE O PEDIDO DE SAQUE

- Na sua conta gov.br, acesse Valores para Pessoas Falecidas

- Digite o CPF e a data de nascimento da pessoa falecida

- Leia e aceite o Termo de Responsabilidade de consulta a dados de terceiros

5º CONFIRA OS DADOS

- Veja na tela do sistema se estão corretos: o nome e os dados de contato da instituição que deve devolver o valor; a origem (tipo) do valor a receber; e a faixa do valor a receber (R$ 0 a 10,00; R$ 10,01 a 100,00; R$ 100,01 a R$ 1000,00 e acima de R$ 1000,00)

- Clique em exibir o comprovante, que contém informações de valor a receber em nome da pessoa falecida

- No computador, é possível salvar, imprimir ou compartilhar o comprovante

- No celular, é possível compartilhar o comprovante por e-mail ou em aplicativo de mensagens

6º FALE COM O BANCO

- Cada instituição financeira determina a documentação necessária para sacar o dinheiro da pessoa falecida

- Pergunte diretamente à instituição onde o dinheiro está depositado _o SRV informa qual é a instituição
Atenção! É obrigatório ser herdeiro(a), testamentário(a), inventariante ou representante legal, para acessar os dados da pessoa falecida

CUIDADO COM GOLPES

- O único site para consultar e saber como solicitar a devolução dos valores esquecido é o https://valoresareceber.bcb.gov.br

- Todos os serviços do Valores a Receber são totalmente gratuitos. NÃO faça qualquer tipo de pagamento para ter acesso aos valores

- O Banco Central NÃO envia links NEM entra em contato para tratar sobre valores a receber ou para confirmar dados pessoais

- Somente a instituição que aparece no Sistema de Valores a Receber é que pode contatar e ela NUNCA vai pedir senha

- NÃO clique em links suspeitos enviados por e-mail, SMS, WhatsApp ou Telegram

Nenhumcomentário
500 caracteres restantes.
Seu nome
Cidade e estado
E-mail
Comentar
* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou com palavras ofensivas.
Mostrar mais comentários